João Pessoa: 23 de julho de 2024

Programa Coração Paraibano realiza transporte aeromédico e salva vida de paciente infartado

Publicado em: 20 de fevereiro de 2024

Coração Paraibano salva vida de paciente infartado que precisou ser transferido pelo transporte aeromédico.jpeg

Mais uma vida foi salva pelo programa Coração Paraibano – uma rede estruturada de cuidados de urgência e emergência cardiológica do Governo da Paraíba – que transferiu, por meio de transporte aeromédico, um paciente de 62 anos, diagnosticado com infarto agudo do miocárdio, do município de Gurinhém para o Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, pertencente à rede estadual de saúde e gerenciado pela Fundação Paraibana de Gestão em Saúde (PB Saúde), na tarde desse domingo (18). A agilidade do atendimento foi fundamental neste caso, tendo em vista o agravamento do caso.

O paciente chegou à Unidade de Pronto Atendimento de Gurinhém se queixando de dores fortes no peito e, ao receber atendimento médico, foi constatado que se tratava de um infarto e precisava ser transferido imediatamente para o Hospital Metropolitano, que é referência cardiológica na Paraíba. Devido à distância de 50 km por meio terrestre, foi solicitado o serviço de Transporte Aeromédico, para agilidade do atendimento e sobrevida do paciente.

De acordo com o relato de Eliane Cavalcante, colega de trabalho do paciente, a agilidade no transporte foi fundamental para que a vida do seu colega fosse salva. “Quando o médico viu que não daria tempo de ser transportado na ambulância, solicitou logo o helicóptero. Logo em seguida, ele foi para o local onde o helicóptero ia pousar e não esperamos nem 30 minutos. E graças a Deus que deu certo, porque essa agilidade que salvou a vida do meu colega”, relatou Eliane.

Chegando ao Hospital Metropolitano, o paciente foi submetido a uma angioplastia e encontra-se em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Endovascular. O quadro do paciente é estável e a expectativa é que receba alta hospitalar em breve.

Como funciona o Coração Paraibano – Assim que o paciente é diagnosticado com os sintomas, baseado no protocolo do Coração Paraibano, os médicos da unidade de saúde onde o paciente recebeu o primeiro atendimento fazem contato, por telemedicina, com especialistas do Metropolitano, hospital coordenador do programa, para receber orientação sobre os cuidados imediatos com medicação e exames de imagem.

Quando necessário, o paciente é encaminhado pela Central de Regulação Estadual para realizar procedimento de intervenção na hemodinâmica mais próxima via transporte, que pode ser feito pela base de ambulâncias, pelo Grupo de Resgate Aeromédico (Grame), ou via aeronave de UTI aérea.

Os centros de referência do programa são o Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita; o Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em Campina Grande; e o Complexo Regional Hospitalar Deputado Janduhy Carneiro, em Patos, unidades onde estão localizadas as hemodinâmicas.

SECOM

Tags:

Compartile: