João Pessoa: 26 de fevereiro de 2024

Bloco Portadores da Folia reúne centenas de foliões em desfile pela orla da Capital

Publicado em: 7 de fevereiro de 2024

DSC_8920.JPG
DSC_9092.JPG
DSC_8833.JPG
DSC_8846.JPG
DSC_8908.JPG
DSC_8903.JPG
DSC_8939.JPG
DSC_9060.JPG
DSC_9048.JPG
DSC_9112.JPG
DSC_9164.JPG
DSC_8975.JPG
DSC_8737.JPG
DSC_8846.JPG
DSC_8908.JPG
DSC_8939.JPG
DSC_8920.JPG
DSC_8996.JPG
DSC_9060.JPG
DSC_9048.JPG
DSC_9164.JPG
1 | 21
Fotos: Alberi Pontes

Animado pela Banda Tentáculos e pelo Palhaço Pipi, o Bloco Portadores da Folia desfilou, nesta terça-feira (6), pela orla de Tambaú promovendo inclusão social com muito entusiasmo, música e alegria. O bloco é organizado pela Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad), instituição do Governo do Estado que é referência no atendimento de pessoas com deficiência. O bloco trouxe o tema “Na arte de viver sem limites” e reuniu, além das pessoas assistidas pela Funad, familiares, entidades voltadas para pessoas com deficiência e a sociedade em geral.

A primeira-dama do Estado Ana Maria Lins participou do bloco e ressaltou a importância de promover a inclusão das pessoas com deficiência em todos os âmbitos da sociedade. “O carnaval, assim como outras manifestações culturais, deve ser para todos, sem discriminação, sem preconceito. As pessoas com deficiência têm todo o direito de se divertirem, isto representa inclusão social. O Governo do Estado sempre dá apoio às instituições que promovem a inclusão, a acessibilidade e dão mais qualidade de vida para as pessoas com deficiência”, afirmou. O vice-prefeito de João Pessoa, Léo Bezerra, o secretário de Estado da administração, Tibério Limeira, e outros auxiliares do Governo também estiveram presentes.

A presidente da Funad, Simone Jordão, comemorou a realização de mais uma edição desse evento que já está completando 31 anos. “A gente precisa continuar promovendo momentos com este, onde as pessoas com deficiência são as verdadeiras protagonistas. Acredito que a grandiosidade desse bloco é justamente incluir, fazer com que as pessoas tenham acessibilidade, reduzam barreiras, e fazer com que as pessoas possam viver sem limites impostos. Temos aqui várias entidades de pessoas com deficiência, todos unidos em prol da inclusão”, falou.

O Bloco Portadores da Folia contou este ano com a participação do Bloco Xô Preconceito, da Associação Integrada de Mães de Autistas (Aima). “Meu filho se chama Lucas, tem 15 anos, é autista e ama a folia do carnaval. Nossos filhos já são segregados, então trazê-los para uma festividade de carnaval só mostra que o lugar da pessoa com deficiência e do autista é onde ele quiser estar. A Aima tem , ressaltando que a instituição atende, atualmente, 316 pessoas com autismo e recebe o apoio do Governo do Estado.

Geise Reis trouxe sua filha afetiva, Fernanda Reis, que tem Síndrome de Down, para curtir o Bloco Portadores da Folia. “Ela sempre gosta de vir para a folia de carnaval. Dança, brinca e sorri muito. Eu sempre a trago, porque sei que este momento é importante para a inclusão e integração social”, frisou.

Já Felipe José, de 15 anos, veio pela primeira vez participar do bloco. Ele é deficiente visual e comentou que adora frevo. “Eu sempre tive vontade de vir, mas minha mãe não deixava. Este ano, consegui convencê-la a participar comigo e estou adorando. Gosto muito de frevo e axé. As músicas são contagiantes”, disse.

SECOM

Compartile:

Tags: