João Pessoa: 1 de março de 2024

Animais também têm câncer de próstata; Conselho de Veterinária alerta para importância de diagnóstico precoce

Publicado em: 16 de novembro de 2023

Portal WSCOM

Assim como os seres humanos, os animais também têm câncer de próstata. No Novembro Azul, mês dedicado à conscientização sobre esse tipo de câncer, o Conselho Regional de Medicina Veterinária da Paraíba (CRMV-PB) ressalta a importância da atenção à saúde dos pets machos e destaca que consultas periódicas ao médico-veterinário devem ser incorporadas à rotina dos animais.

O médico-veterinário, Ivanclayton Rocha de Menezes, pós-graduado em clínica médica e cirúrgica de pequenos animais e pós-graduado em oncologia de pequenos animais, explica que há estudos que apontam que o estilo de vida dos animais pode desempenhar um papel significativo no desenvolvimento do câncer de próstata em cães, especialmente quando associado à obesidade e à doenças inflamatórias.

Além disso, segundo Ivanclayton, fatores conhecidos por induzir o câncer, como exposição ao tabaco e à poluição ambiental, podem estar ligados ao aumento do risco de câncer de próstata em cães mais velhos. Por isso,  é importante considerar diversos elementos do ambiente e do estilo de vida na compreensão da predisposição ao câncer em nossos companheiros caninos idosos.

O câncer de próstata em pets se manifesta por meio de nódulos, cistos ou calcificações e possui causa ainda incerta. “As causas definitivas sobre a enfermidade não foram identificadas até o momento. Essa incerteza quanto às origens é uma característica compartilhada por muitos tipos de cânceres”, explicou o médico-veterinário.

Ele alerta que mesmo os animais castrados necessitam de avaliações periódicas, seja a cada seis meses ou anualmente. “Se o animal apresentar outras comorbidades, como doenças endócrinas ou inflamatórias, é ainda mais crucial que seja submetido a consultas veterinárias regulares e exames de rotina mais frequentes. Dessa forma, é possível realizar diagnósticos precoces, o que, por sua vez, melhora o prognóstico de sobrevivência do paciente” pontua Ivanclayton.

Sintomas – Os principais sintomas incluem desconforto ao urinar, presença de sangue na urina e quando o animal urina pequenas quantidades várias vezes. Além disso, pode ocorrer dificuldade em defecar, pois  o crescimento do tumor pode comprimir o reto, podendo também resultar em fezes mais finas. Esses sinais clínicos são indicativos da necessidade de uma avaliação veterinária imediata.

Agravamento – Quando o câncer de próstata atinge um estágio mais avançado, diversos sintomas podem se manifestar, tais como dores ósseas e na coluna, uma vez que a doença pode atingir também os ossos, fêmur e úmero. A presença de cansaço pode ocorrer em casos onde o câncer afeta os pulmões. Além disso, podem ocorrer sintomas mais generalizados e sistêmicos, bem como metástases para órgãos como o fígado e outros.

Diagnóstico – Recomenda-se que os animais de estimação passem por avaliações clínicas pelo menos uma vez ao ano após completarem sete anos de idade, pois o câncer é mais prevalente em cães idosos. A ultrassonografia e o toque retal destacam-se como os dois principais exames de triagem para se iniciar a investigação para diagnóstico.

Tratamento – Em estágios iniciais, quando os tumores são passíveis de intervenção cirúrgica, a abordagem preferencial é a cirurgia, proporcionando o melhor prognóstico. Em seguida, é frequentemente indicada uma quimioterapia. Contudo, em situações em que o tumor atinge proporções maiores, o tratamento prioritário é a quimioterapia. Nesses casos, o prognóstico torna-se menos favorável, com uma sobrevida significativamente reduzida. Em algumas regiões, a radioterapia pode ser considerada como uma opção em casos inoperáveis, apesar de ser um tratamento mais caro e não estar disponível em todas regiões.

Prevenção – A melhor forma de prevenção está no combate às causas iniciais. O tutor deve oferecer uma ração e alimentação de qualidade para o animalzinho; evitar obesidade. É indicado que o animal faça exercícios físicos. Evitar comidas que possivelmente tenham substâncias que sejam carcinogênicas e manter rotinas de check-up com os pets.

 

Compartile:

Tags: