João Pessoa: 17 de julho de 2024

Presidente do PL, Valdemar acusa TSE de perseguir Bolsonaro e Moraes de provocar a direita

Publicado em: 24 de julho de 2023

Portal WSCOM

O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, acusou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de perseguir Jair Bolsonaro (PL). Ele também levantou considerações sobre a postura do presidente da corte e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, insinuando que suas decisões visam provocar os bolsonaristas. Costa Neto destacou a escolha do dia 22, que representa o número do PL, para julgar Bolsonaro, e afirmou que isso incomoda os apoiadores da direita, referindo-se ao ocorrido em que Moraes foi agredido na Itália por um membro do PL. O líder do partido esclareceu que muitos apoiadores ficam descontentes com as decisões do TSE. “Aí vão julgar o Bolsonaro, tem tantos dias para escolher do mês, ele escolhe o dia 22 [número do PL]. Isso, o cara do PL, da direita, que fez isso com ele [agrediu Moraes] lá na Itália, acompanha. Esse é o problema. Não somos nós que fazemos campanha contra ele. Ele [o apoiador de Bolsonaro] vê um negócio desse e não se conforma”, disse Costa Neto à Folha de S. Paulo.

“Bolsonaro é perseguido, lógico. Foi perseguido pelo TSE, foi injustiçado. Ele jamais podia ficar inelegível. Isso o camarada da direita vê. Eles são esclarecidos, gente de opinião”, complementou.

Sobre a possibilidade de Bolsonaro ser candidato até 2030, Costa Neto revelou que o PL estuda recorrer a tribunais internacionais para recuperar esse direito. Ele também mencionou que caberá a Bolsonaro escolher quem representará a direita nas eleições presidenciais de 2026 e mencionou sua boa relação com Tarcísio de Freitas, governador de São Paulo pelo Partido Republicanos.

Quando questionado sobre as opiniões em relação a Bolsonaro, Costa Neto afirmou que alguns aliados o consideram como o maior cabo eleitoral do país, mas também expressou sua tristeza com a decisão do TSE que o tornou inelegível. Segundo ele, nunca antes um cidadão sem mandato havia sido impedido dessa forma.

O presidente do PL também defendeu Bolsonaro de acusações de comportamento golpista, afirmando que ele nunca fez nada fora da lei, apesar de suas posturas controversas em relação ao Supremo. Costa Neto rejeitou a ideia de que o comportamento do ex-mandatário tenha influenciado o ocorrido em 8 de janeiro.

Em relação ao futuro político de Bolsonaro, Costa Neto admitiu não saber se será possível retomar seu direito de candidatar-se novamente. Ele mencionou estar estudando outras possibilidades, incluindo órgãos internacionais, para reverter essa situação. Sem Bolsonaro na corrida, o líder político afirmou não ver uma chapa ideal para representar a direita no momento. “Não tem hoje. É muito longe. O Tarcísio é um cara bom, lógico. Você tem também o [Romeu] Zema [governador de Minas Gerais, do Novo]. É muito bom. Agora precisa ver o que o Bolsonaro vai decidir”.

Sobre o governador Tarcísio de Freitas, Costa Neto elogiou sua figura e afirmou que sua boa relação com Bolsonaro permitiria seu apoio em uma eventual candidatura. Em relação à primeira-dama Michelle Bolsonaro, o líder do PL acredita que ela poderia se sair bem como senadora em Brasília, já que ela é diferente do marido em diversos aspectos.

Costa Neto também expressou preocupação com a saúde de Bolsonaro e a importância de preservá-lo, considerando-o Bolsonaro uma “máquina de votos” fundamental para o partido.

Sobre a relação entre Bolsonaro e Tarcísio de Freitas, o líder político informou que a convivência entre eles é boa. Quanto a uma eventual filiação de Tarcísio ao PL, Costa Neto afirmou que essa possibilidade ainda não foi discutida, mas não escondeu sua admiração pelo governador.

 

Tags:

Compartile: