João Pessoa: 25 de junho de 2024

Apoio do Sistema Cofeci-Creci à ação tem alcance social no Sertão de AL e até na África

Publicado em: 14 de abril de 2023

 

Foi na pequena cidade sertaneja de Olho D’água das Flores, mais precisamente no povoado “Pedrão”, localizado a mais de 200 quilômetros de Maceió (AL), que foi lançado na tarde de quinta-feira (13) através do Instituto Brilhante, o projeto piloto do “Cafuzinhos do Sertão”, iniciativa do ex-jogador de futebol pentacampeão pela seleção brasileira, Cafu.

A escolha do local se deu pelo déficit alarmante de crianças com déficit de nutrição e Maceió ser o estado com o pior Índice de Desenvolvimento Humano do país.

A ideia contou com o apoio do Sistema Cofeci-Creci, que ano passado através dos Regionais sensibilizou inscritos, que se incorporaram à campanha por meio da aquisição de bilhetes para sorteios de bolas de futebol autografadas pelo capitão do penta Cafu. Ontem, acompanhado de presidentes de Regionais, o presidente João Teodoro fez a entrega simbólica de um cheque de aproximadamente R$ 80 mil arrecadados com a ação.

Abertura de horizontes

Esses recursos serão de grande valia para contribuir inicialmente na formação do futuro cidadão e no desenvolvimento por meio do esporte, de 35 crianças carentes, que receberão lanches e suas famílias, cestas básicas. Nesse contexto, o ex-jogador já assegurou via parceiros, uniformes, bolas e chuteiras e reforma para o campo de terra com cactos em volta, que agora será dotado de grama sintética e refletores, para que os meninos e meninas possam driblar o calor causticante da região e jogar à noite.

O alcance social da contribuição do Sistema Cofeci-Creci ultrapassará as fronteiras do Brasil e chegará a um país situado no continente africano, continente africano, que possui um território montanhoso, sem saída para o mar e que em 1994 recebeu atenção internacional devido a genocídio no qual cerca de 800 mil pessoas foram mortas.

Fazer mais com menos

“Pelo fato de Ruanda possuir uma economia extremamente frágil em relação à realidade brasileira, será possível fazermos mais com menos recursos, resolvermos a situação de 50 famílias por uma semana com alimentação nos três turnos com algo em torno de R$ 3 a 4 R$ mil, uma ajuda dessa natureza que seria impossível aqui no Brasil. Ainda lá, num terreno que nos foi doado, construiremos um posto de saúde com capacidade para atender mais de 500 famílias”, afirmou o vice-presidente do Instituto, Helder Pereira.

O presidente do Creci-PB, Ubirajara Marques, que cumpre desde terça-feira agenda de trabalho na capital de Alagoas, foi representado pelos diretores Garibaldi Porto (2º vice-presidente), Flávio Passarinho e Carla Bezerra Cavalcanti (1º e 2º tesoureiros) e pelos conselheiros federais Assis Cordeiro e Fabiano Cabral, acompanhados do assessor de comunicação Cândido Nóbrega.

Tags:

Compartile: