João Pessoa: 15 de junho de 2024

Terceiro mandato: presidente Xi Jinping é reeleito presidente da China

Publicado em: 10 de março de 2023

Terceiro mandato: presidente Xi Jinping é reeleito presidente da China

Por Paraíba Master

Xi Jinping foi reeleito, nesta sexta-feira (10), para seu terceiro mandato de cinco anos como presidente da China, em um papel amplamente cerimonial, enquanto reforça seu domínio como o líder mais poderoso do país desde Mao Zedong.

Quase 3.000 membros do parlamento, o Congresso Nacional do Povo (NPC), votaram unanimemente no Grande Salão do Povo para Xi, de 69 anos, continuar em seu cargo pelos próximos cinco anos, em uma eleição onde não havia outro candidato.

A votação durou cerca de uma hora e a contagem eletrônica foi concluída em cerca de 15 minutos.

Xi também recebeu votos unânimes para um terceiro mandato como presidente da Comissão Militar Central do país.

O parlamento também elegeu Zhao Leji como o novo presidente do parlamento e Han Zheng como o novo vice-presidente. Os dois homens eram da equipe anterior de líderes partidários de Xi no Comitê Permanente do Politburo.

Todos os líderes recém-nomeados fizeram um juramento público de lealdade à constituição chinesa dentro do Grande Salão do Povo.

O NPC também aprovou um plano abrangente para reformar as instituições sob o Conselho de Estado, incluindo a formação de um órgão regulador financeiro e de uma agência nacional de dados e uma reformulação de seu ministério de ciência e tecnologia.

A reforma é vista como mais um passo por Xi para fortalecer o controle do Partido Comunista sobre as principais áreas da formulação de políticas.

Desafios

Embora Xi tenha garantido um controle firme do poder, ele enfrenta uma miríade de desafios tanto em casa quanto no exterior.

A economia chinesa está lutando para se recuperar de três anos de duras restrições de Covid zero, a confiança dos investidores está diminuindo e uma crise demográfica se aproxima quando o país registrou seu primeiro declínio populacional em seis décadas.

A China também enfrenta uma série de ventos diplomáticos contrários de Washington e outras capitais ocidentais, já que as relações despencaram nos últimos anos devido ao histórico de direitos humanos de Pequim, reforço militar, tratamento da Covid e crescente parceria com a Rússia.

Em comentários extraordinariamente diretos na segunda-feira, Xi acusou os EUA de liderar uma campanha para reprimir a China e causar seus sérios problemas internos.

“Os países ocidentais liderados pelos Estados Unidos nos contiveram e nos reprimiram de maneira abrangente, o que trouxe desafios severos sem precedentes ao nosso desenvolvimento”, disse Xi a um grupo de conselheiros governamentais que representam empresas privadas à margem da reunião do NPC.

Xi agora entrou em um novo território histórico. Nenhum líder chinês ocupou o título de chefe de Estado por mais de 10 anos, incluindo o pai fundador da China comunista, o presidente Mao Zedong.

Liu Shaoqi, que assumiu o cargo de presidente do estado de Mao em 1959, foi demitido em 1968 e perseguido até a morte um ano depois durante a tumultuada Revolução Cultural de Mao.

Após a morte de Mao, o líder supremo Deng Xiaoping introduziu limites de mandato presidencial na constituição da China em 1982 para evitar o tipo de caos e catástrofe visto sob o governo de Mao ao longo da vida.

Deng também liderou reformas institucionais para trazer uma maior separação de cargos e funções entre o partido e o estado. No entanto, esses esforços foram severamente prejudicados por Xi, que expandiu muito o controle do partido no poder – e seu próprio controle sobre o partido.

Em 2018, a legislatura da China aboliu os limites do mandato presidencial em uma votação cerimonial, permitindo efetivamente a Xi governar por toda a vida.

Paraíba Master com informações da CNN 

Tags:

Compartile: