João Pessoa: 21 de fevereiro de 2024

Alhandra comemora Dia Municipal da Mulher e professora Ana Flávia é lembrada na luta contra a violência contra a mulher

Publicado em: 10 de março de 2023

 

 

A partir desta sexta-feira(10), Alhandra irá comemorar nesta data, 10 de março, o Dia Municipal da Mulher. A solenidade de lançamento e institucionalização da lei foi realizada no auditório do Anexo da Câmara Municipal de Alhandra. A vice-prefeita, Zilda do Varejão, esteve no evento representando o chefe do executivo, Marcelo Rodrigues, que estava cumprindo outras agendas.

Esta data foi escolhida por que neste mesmo dia a professora, Ana Flávia, que também desenvolveu trabalhos importantíssimo no município como conselheira tutelar, sofreu violência pelo marido e ficou internada durante nove dias lutando para sobreviver, mas devido a gravidade dos ferimentos não resistiu e faleceu no dia 19 de março de 2012.

 

O evento foi iniciado, pela coordenadora da Coordenadoria da Mulher e Diversidade Humana, Madalena Dias, com um breve resumo da lei e também o porquê de homenagear, a professora, Ana Flávia, referência em Alhandra na luta contra a violência contra a mulher, por ter sido vítima da violência. “A violência contra a mulher não é natural e não deve ser tolerada. Esse momento é um divisor de águas para a mulher de Alhandra. Homenagear Ana Flávia, é em virtude que não mais queremos que as mulheres sejam mortas. É um fato que aconteceu, a morte da professora, traz pra gente uma lembrança que é muito difícil e traz muita dor para o município de Alhandra. É necessário que a gente diga não, que a gente não naturalize a violência e que a gente diga que as mulheres querem viver, e viver sem violência”, disse Madalena.

Mais fotos clique aqui

Ela ainda disse que a lei mostra o quanto as mulheres têm poder de voz e a própria valorização do município ao tema. “É um momento que a gente passa ver essa mulher (mulher alhandrense) empreendedora. Como protagonista da sua própria história, que não se cala diante de uma violação de direito, qualquer que seja esse tipo de violência, a mulher precisa denunciar. E é um dia que a gente consegue figurar no calendário do município, a participação dessas mulheres. Dizer que essas mulheres são relevantes, que eles tem um espaço, tem poder de voz e que são capazes de construir sua própria história, uma história sem violência”, completou Madalena.

 

A irmã da vítima de violência, Rirlene Rodrigues, conhecida por Leninha falou do legado da pessoa que a sua irmã deixou para todos os alhandrenes. “Para nós é muito importante essa data, e hoje principalmente por ser o dia 10 de março, porque foi quando começou essa luta. Ana deixou um legado maravilhoso, uma memória excepcional, e quem chegou a conhecê-la sabe o quanto ela era importante. Esse mês de março já era marcado e agora mais ainda por ser agora o dia Municipal da Mulher e por ter sido citado o nome dela, sendo homenageada mais uma vez em Alhandra. O Conselho Tutelar leva o nome dela, a rua onde moramos leva o nome dela. Agora a data é lembrada com lutas e vitórias, porque querendo ou não houve uma justiça do jeito dela, mas houve. Nós só temos a agradecer de coração em nome de toda família,” disse Leninha. Ela esteve no evento acompanhada da irmã, Fabiana Rodrigues e dos dois filhos de Ana Flávia.

Um dos filhos, Joselias Pereira, emocionado, conversou e falou de quem foi a sua mãe. “Ana Flávia foi uma mãe, um amor pra gente, uma mulher batalhadora que nunca deixou faltar nada pra gente, sempre nos incentivou para o caminho do bem, o caminho certo. Dela eu tenho a gratidão de tudo que ela fez por nós e muita falta que ela faz em nossa vida”, declarou Joselias.

 

A vice-prefeita, Zilda do Varejão, falou da propositura da lei e que esse momento irá também promover políticas públicas para as mulheres do município. “Essa foi uma propositura do executivo, do prefeito de Alhandra, Marcelo Rodrigues, que hoje não pôde estar conosco devido a sua agenda de compromissos, acredito que está muito bem representado, de uma lei que veio mais uma vez beneficiar as mulheres. Hoje fizemos história, inserindo no calendário municipal o dia 10 de março, Dia Municipal da Mulher, em homenagem à professora alhandrense, Ana Flávia, foi vítima de violência doméstica. E a nossa luta hoje é contra a violência doméstica. Vamos continuar lutando procurando nossos direitos, políticas públicas para as mulheres para que possamos rever os direitos da nossa mulher aqui no município de Alhandra. Hoje é um momento de alegria. Eu agradeço demais, todas as mulheres que estiveram aqui presentes. E vou sempre levantar esse jargão, lugar de mulher é onde ela quiser”, disse Zilda do Varejão.

O presidente da Câmara Municipal, vereador irmão Beto, falou da alegria quando ele e os colegas receberam o projeto de lei do executivo municipal. “Quero dizer da alegria e satisfação de quando foi protocolado esse projeto pelo executivo municipal, sabíamos da importância, da necessidade e prontamente nossos colegas vereadores se prontificaram. De forma unânime nós demos celeridade ao projeto para que hoje se tornasse lei. É muito importante e digo que Alhandra faz história e a partir de hoje nosso município tem o Dia Municipal da Mulher.

Compareceram ao evento representantes do Núcleo de Cidadania de Adolescentes (NUCA), além de diversas mulheres. Também tivemos a presença da secretária municipal de Assistência Social, Juliana Vida, do secretário adjunto da pasta, Ulisses Felix, da secretária adjunta de educação, Milena Abreu, do chefe de gabinete, Bruno Fernandes, do subprefeito de Mata Redonda, Silvio Ferreira e dos vereadores.

De acordo com o texto da lei, fica instituído o “Dia Municipal da Mulher”, a ser comemorado anualmente na data de 10 de março do calendário oficial, e tem o objetivo de promover o empoderamento e protagonismo feminino, enfrentar a violência contra a mulher, bem como, estimular a integração da mulher no processo de desenvolvimento do município.

fonte: Secom

 

Compartile:

Tags: