João Pessoa: 1 de março de 2024

GALDINIANAS: O Centenário de Joacil de Brito Pereira – Por Rui Galdino

Publicado em: 16 de fevereiro de 2023

WhatsApp Image 2023 02 16 at 18.08.29 e1676582758826 - GALDINIANAS: O Centenário de Joacil de Brito Pereira - Por Rui Galdino

Foto: Reprodução

Meus amigos, minhas amigas, meus caros leitores. O assunto de hoje é muito especial, pois, vamos escrever um pouco, relembrando e homenageando um cidadão paraibano por adoção, que honrou o nosso estado, aqui casou-se, constituiu família, fez história e se tornou um nome nacional. Era amigo do meu pai que hoje tem 95 anos de idade e foi seu eleitor para deputado federal em 1978. Estou me referindo a JOACIL DE BRITO PEREIRA, que se vivo fosse, estaria completando 100 anos de idade, portanto, na última segunda-feira, dia 13 de fevereiro de 2023, comemoramos o CENTENÁRIO DE NASCIMENTO de Joacil, que nasceu na cidade de Caicó-RN, no dia 13 de fevereiro de 1923 e que aos 7 aninhos de idade, veio com seus pais ( Francisco Clementino Pereira e Isabel de Brito Pereira ) e seus três irmãos ( Ivanice, Joás e Ivoneide ), residir no bairro de Jaguaribe, na capital paraibana, no ano de 1931.

Seu pai era fabricante e vendedor de sapatos, sua mãe pequena comerciante, ambos de poucas posses, no entanto, com muito esforço e dedicação, garantiu os estudos e a formação escolar e acadêmica dos quatro filhos: Ivanice, Joacil, Joás e Ivoneide, todos vencedores e bem sucedidos na vida. Joacil e Joás ( in memorian ) se destacaram no mundo jurídico. Ivanice ( in memorian ) e Ivoneide, a caçula que é viva, sempre foram rainhas do lar. Joacil, o 2º filho dos quatro irmãos, sempre foi uma criança peralta, cheia de vida e de sonhos. Fez o primário no Colégio José Bonifácio, iniciou o ginásio no Liceu Paraibano e finalizou no Colégio 15 de Novembro, na cidade de Garanhuns-PE. Depois, voltou para João Pessoa e fez o científico no tradicional Colégio Liceu Paraibano.

Foi no Liceu Paraibano, que o jovem Joacil se destacou como aluno estudioso, correto, mas de temperamento forte, tipo daqueles que não levava desaforo pra casa ( lembrava bastante à aventurosa vida de seu pai ). Nessa fase de sua vida participou ativamente do movimento literário das academias estudantis e ao lado de colegas igualmente estudiosos, fundaram o Grêmio Cultural Augusto dos Anjos, que se tornou o ambiente fértil para a formação dos futuros e melhores oradores da Paraíba e Joacil foi um deles, homem das letras e grande tribuno, com uma oratória forte, emocionante e invejável. Joacil, também fez parte dos Grêmios Machado de Assis e Olavo Bilac e como se não bastasse, foi fundador do Teatro do Estudante, tornando-se também um grande teatrólogo com várias peças publicadas e encenadas.

Ao terminar o curso científico em 1942, aos 18 anos, o jovem Joacil, foi convocado pelo Exército, em plena 2ª Guerra Mundial, pois, pertencia à classe dos nascidos em 1923. Jovem destemido, patriota, culto e de grande oratória, serviu ao Exército e se destacou com muita maestria, dedicação e zelo. Nessa época o Brasil era governado pelo presidente Getúlio Vargas, que declarou guerra à Alemanha nazista e à Itália fascista, após ter seus navios mercantes torpedeados. Depois, Joacil foi fazer o curso de Direito na famosa Faculdade de Direito do Recife, se formando no ano de 1950, na turma que ficou conhecida como a “Turma do Meio do Século”. Ao se destacar como primeiro aluno da turma e orador oficial, conseguiu uma bolsa de estudos que garantiu o término de seu curso e devido aos seus méritos acadêmicos foi premiado com uma viagem a cinco países da Europa. Essa viagem foi de grande importância para o futuro do advogado Joacil, pois, lhe ajudou bastante em conhecimentos e amadurecimento intelectual, fazendo despertar no filho de seu Francisquinho ( natural de Brejo do Cruz-PB ) e de dona Benzinha ( natural de Caicó-RN), o homem ilustre que iria ser e se destacar num futuro próximo nas áreas jurídica, cultural, política e do magistério.

Em 1953, o então advogado e tribuno Joacil, casou-se com Neli de Assunção Santiago, que tornou-se Neli Santiago Pereira, natural da cidade de Santa Rita-PB, filha de Eitel de Assunção Santiago e Amneres Guedes Santiago. Dona Neli, que é viva e merece também as nossas homenagens, foi seu grande amor, cúmplice, paixão de toda sua vida e companheira de todas as horas. Dessa união, brotaram seus 8 filhos: Isabel, Eitel, Augusto, Tota(in memorian), Amneres, Francisco, Nelizinha e Rodrigo(in memorian). Depois, surgiram genros, noras e vieram 18 netos: meu amigo e ex-vereador Lucas de Brito, Gabriel, Rodrigo e Marília ( filhos de Eitel ); Paula, Luciana e Gustavo ( filhos de Augusto ); Daniele, Joacil Neto e Felipe ( filhos de Joacil Filho-Tota ); Marco Antônio e Isadora ( filhos de Amneres ); Tiago, Nelí e Valéria ( filhos de Francisco ); José Lavoisier, Leonardo Filho e Andréia (filhos de Nelizinha). Isabel e Rodrigo não tiveram filhos. Depois, 22 bisnetos: Arthur, Maria Luiza, Mariane, Maria Eduarda, Heitor, Gabriel, Isabela, Francisco, Luiza, Manuela, Miguel, Daví, Rebeca, Lavoisier, Luma, Werner, Ane, Ailton, Maria Tereza, Ramon, Maria Clara e Maria Alice. E tem também 01 trineto: Joaquim. Como se observa, uma família grande de pessoas honradas, honestas, estudiosas, cultas e que sempre engrandeceram a Paraíba.

Ainda estudante de Direito, inteligente, corajoso e de uma oratória extraordinária, Joacil amava também a atividade política, tentou se eleger vereador de João Pessoa em 1945 e deputado estadual em 1947, mas não logrou êxito, porém, mesmo sem mandato, continuou fazendo política e lutando por democracia e liberdade para o nosso país e o nosso povo. Advogado brilhante principalmente na área penal, fez grandes e históricos júris por toda Paraíba se tornando conhecido, famoso e respeitado. Em 1956, foi convidado e nomeado pelo então governador Flávio Ribeiro Coutinho, como Secretário Chefe da Casa Civil, cargo que desempenhou com muita maestria e competência e que lhe deu mais notoriedade por toda Paraíba. Em 1958, foi eleito deputado estadual e reeleito em 1963. Em 1967, tentou se eleger deputado federal, mas não logrou êxito, então, decepcionado com traições políticas ( fase do seu ostracismo político ), deixou a política de lado e voltou com muita força para a banca de advocacia e para o magistério como professor da UFPB, porém, sem perder sua força e prestígio político.

Em 1975, voltou à atividade política como Secretário do Interior e Justiça do então governador Ivan Bichara Sobreira e mais uma vez se destacou como secretário de estado. Assim sendo, começou a pavimentar seu grande sonho que era ser deputado federal, fato esse que aconteceu em 1978, quando se elegeu deputado federal e foi reeleito em 1982. Se preparou bastante para ser deputado constituinte em 1988, porém, não logrou êxito. Foi uma pena, pois com Joacil na Constituinte, a CF/88 teria sido bem melhor para o povo brasileiro. Em toda sua trajetória de vida, além de bom pai de família, esposo exemplar, homem das letras, de uma oratória pujante, de grande saber jurídico, político sério e honesto, professor qualificado, escritor de mais de 40 obras, etc, Joacil, também foi agraciado com várias honrarias na Paraíba e no Brasil, a exemplo da medalha de honra que recebeu da Academia Brasileira de Letras (ABL). Além disso, recebeu da Assembleia Legislativa do Estado, o Título de Cidadão Paraibano e a medalha Epitácio Pessoa. Também recebeu os Títulos de Cidadão dos municípios de Alagoinha, Guarabira, Teixeira, Bayeux e João Pessoa. Foi membro da Academia Brasileira de Letras Jurídicas (ABLJ), membro e presidente por 4 vezes do Instituto Histórico e Geográfico da Paraíba (IHGP), membro e presidente por 5 vezes da Academia Paraibana de Letras (APL), deixando um grande legado administrativo e cultural para estas instituições. Aliás, por onde Joacil passou, foi um grande, com obras, ações, gestos e acima de tudo, exemplos de honradez, coragem, fé e seriedade no que fazia.

Partindo do princípio de que a imortalidade de um cidadão ou cidadã, são adquiridas e fixadas através dos seus escritos, a obra literária de Joacil é vasta e fantástica, por isso, ele se tornou imortal. Partindo do princípio de que o HOMEM é lembrado para a história através de suas ações e exemplos, Joacil, jamais será esquecido. Nascido em 1923, filho de seu Francisquinho e de dona Benzinha, esposo de dona Neli, pai de 8 filhos, avô de 18 netos, Joacil de Brito Pereira, partiu para a eternidade em 29/08/2012, a cerca de 11 anos, deixando um legado de honradez, inteligência, serviços prestados por toda Paraíba, cultura das letras, da política, do saber jurídico e do magistério. Homem de coragem, valente, amável, amigo dos amigos, ficará para sempre na lembrança de gerações e de uma família que se tornou grande e igualmente honrada. Por isso, no CENTENÁRIO de nascimento de Joacil de Brito Pereira, o galdinista exorta o seu legado, o parabenizando pela sua bonita história de vida e sucesso, o homenageando pelo seu exemplo de homem público respeitado, que ficarão para sempre na nossa memória e na memória das gerações seguintes. VIVA O IMORTAL E INESQUECÍVEL JOACIL DE BRITO PEREIRA!!!

Compartile:

Tags: