João Pessoa: 17 de abril de 2024

Bloco Cordão do Frevo Rasgado completa 27 anos e agita Via Folia nesta sexta-feira

Publicado em: 10 de fevereiro de 2023

A programação do segundo dia de prévias, dentro do Carnaval 2023 de João Pessoa, traz o bloco Cordão do Frevo Rasgado que, este ano, tem um diferencial de levar trio elétrico para a avenida nesta sexta-feira (10). Fundado em 1996, o Cordão compõe o projeto Folia de Rua e faz parte da história do Carnaval da cidade. O cenário é a Via Folia, na Avenida Epitácio Pessoa, a partir das 21h. Além dele, o dia é também do bloco convidado Vumbora, do cantor Bell Marques, que se concentra no mesmo local, a partir das 20h.

O bloco, que se propõe a resgatar a cultura do Carnaval através da música, foi idealizado pelo cantor e compositor Liss Albuquerque. A ideia de criar o grupo carnavalesco surgiu a partir da música Cordão do Frevo Rasgado, composta em parceria com o poeta Antônio Arcela. De suas memórias, resgata a época em que acompanhou os carnavais de clube, as matinês, as festas à noite, ao som das grandes orquestras como a do Maestro Vilô e a Orquestra Tabajara, do Maestro Severino Araújo. Era o tempo do corso e do mela-mela. Só depois veio o bloco das Muriçocas, que também ajudou a fundar, seguido do Folia de Rua.

Neto de maestro que tinha uma orquestra de baile em Guarabira, a mãe nasceu no dia de Carnaval e era grande incentivadora de sua carreira. Foi a partir do Carnaval que ele herdou a consciência de músico e Liss passou a encarar a festa como a mais emocionante, assim como o São João, pela identidade cultural que tem com a raiz paraibana. Ele conta que, quando o Folia de Rua começou, era um evento livre e espontâneo, sem nada profissionalizado e não havia sequer cachê para os artistas.

No lançamento, em 13 de dezembro de 1993, Liss Albuquerque lembra que o evento conseguiu reunir um público numeroso na praia. Esse momento foi um divisor de águas entre o Carnaval tímido para um novo momento, que foi a criação da prévia Folia de Rua, pioneira no Brasil.

Estreia – Uma história que marcou a estreia do bloco, em 1998, foi o banho de ovo. O grupo tinha iniciado o percurso pelas ruas de Camboinha, onde a família de Liss tinha residência e havia também muita gente nas casas, inclusive do interior. Quando seguiam em arrasto, levaram uma chuva de ovo.

“Íamos passando perto de um condomínio com três, quatro andares e começou a chuva de ovo. Foi um corre-corre”, contou. Nesse dia, faziam parte do bloco os artistas Fuba e Dadá Venceslau.

O arrasto parou porque os instrumentos e os foliões ficaram todos sujos. “A gente levou na brincadeira, e isso marcou a abertura do bloco, embora a história do ovo já fosse uma coisa antiga no Carnaval. Tivemos que voltar e fomos tomar banho de mar para tirar o ovo”, recordou.

Novidades para 2023 – A organização do bloco Cordão do Frevo Rasgado fez uma mudança estratégica e radical. Depois de dois anos parados, de muita reflexão – porque é um bloco familiar, com amigos, primos do cantor e coordenador Liss Albuquerque, o bloco vai para a rua. “Depois de 25 anos saindo com orquestra, resolvemos fazer uma mudança. Vamos sair com trio elétrico, minha banda completa, do maestro Eduardo Sabiá, que é coordenador da minha direção artística, e vamos sair na Avenida Epitácio Pessoa”, diz o cantor.

O Vumbora, segundo ele, estava sozinho na avenida e, quando acabava, ficava um percurso muito longo e muita gente sem nada. Então, o grupo se reuniu, achou interessante e todo mundo concordou, inclusive o pessoal do Vumbora, que seria uma boa novidade. Liss conta que resolveu cantar no próprio bloco, valorizando as raízes e homenageando a família Almeida, à qual pertence o artista.

Estandarte – O estandarte, este ano, foi um presente do artista Marcos Pinto e ele pediu que fosse simples. “O mundo está passando por uma fase difícil. Quando ligamos a TV e vemos as notícias, pensamos que não tem mais nada a comemorar. Então, precisamos dividir esse sentimento da tristeza solidária em relação aos povos do mundo, as coisas que têm acontecido, e também focar um pouco nessa divisão entre a solidariedade e a alegria que o Carnaval precisa”, afirmou.

Liss acrescenta que o Cordão estar na avenida pela primeira vez é um laboratório. “Espero que seja um sucesso, que a galera possa curtir o nosso som e que dê tudo certo”, concluiu.

Para conferir a programação completa com todos os blocos, clique neste link.

  • Texto: Lucilene Meireles
    Edição: Cristina Cavalcante
    Fotografia: Arquivo pessoal

  • Secretarias

    FUNJOPE

Tags:

Compartile: