João Pessoa: 20 de maio de 2024

Prefeitura investe em uma cidade mais inclusiva e diversa com projeto financiado pelo BID

Publicado em: 31 de janeiro de 2023

Combater preconceitos, ampliar a compreensão dos servidores municipais sobre inclusão de gênero e respeito à diversidade, e humanizar o atendimento ao público para que a população de João Pessoa se sinta cada vez mais acolhida. Esse é o objetivo do projeto ‘João PessoaS – cidade inclusiva e diversa’, que chega à segunda etapa com o objetivo de formar multiplicadores. Dos 200 servidores que participaram da primeira fase, 40 foram selecionados e estão sendo capacitados.

Ana Carolina Gondim, diretora de Enfrentamento à Violência contra a Mulher da Secretaria Extraordinária de Políticas Públicas para as Mulheres (SEPPM), explica que esta fase traz uma “formação mais aprofundada que possibilitará aos participantes se tornarem multiplicadores de saberes sobre temáticas antidiscriminatórias, como capacitismo, racismo, lgbtfobia, sexismo, etarismo etc. Ao final, esses servidores terão condição de promover palestras e coordenar oficinas, além de orientar os colegas em suas secretarias sobre a prevenção da violência institucional e a necessidade do respeito à diversidade humana e do atendimento humanizado aos usuários do serviço público municipal”, destacou.

O projeto foi iniciado em dezembro de 2021 com o planejamento e será concluído em abril com a formatura dos participantes que têm acesso a discussões amplas sobre machismo, violência doméstica, ciclos de violência e muito mais. Nesta segunda fase, estão sendo realizados 10 encontros com palestras que abordam temas como “Ideologia, poder e dominação”, “O significado de ser homem”, “Lei Maria da Penha”, “Construção sóciohistórica das discriminações”, “Estudos das Masculinidades”, “Pessoas com deficiência”, “Patriarcado”, “LGBTQIA+fobia e discriminação” e “Transgeneridade”.

“Essas palestras servirão para que, na Prefeitura de João Pessoa, nós não tenhamos nenhum tipo de episódio de violência institucional, de mau atendimento aos usuários, aos cidadãos e cidadãs pessoenses, de modo que os servidores da prefeitura possam tratar a todos de maneira igualitária e, por consequência, garantir os direitos desses usuários e usuários, proporcionando um atendimento mais humanizado possível”, afirmou Ana Gondim.

As palestras e oficinas estão sendo realizadas no Centro Helena Holanda todas as quartas-feiras e ministradas pelo Entre Nós Assessoria, Educação e Pesquisa – ENAEP, que desenvolveu uma cartilha com conceitos e definições sobre discriminações sofridas pelas pessoas em situação de vulnerabilidade. A ideia é contribuir com a formação cidadã dos servidores municipais para que todos sejam capazes de reconhecer direitos e deveres e possam atuar com excelência. A cartilha está disponível no link: CARTILHA.joaopessoas.A5 – 11.10.cdr.

O projeto – O ‘João PessoaS – Cidade Inclusiva e Diversa’ é fruto de uma cooperação técnica entre a Prefeitura Municipal de João Pessoa e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A Secretaria Extraordinária de Políticas Públicas para as Mulheres submeteu um projeto ao edital lançado pelo banco, cujo objetivo é o financiamento a fundo perdido, de iniciativas de inclusão de gênero no Brasil. Esse edital foi disponibilizado para as cidades que já tinham projetos financiados pelo BID, a exemplo da capital paraibana, com o programa João Pessoa Sustentável.

Pedro Henrique foi um dos escolhidos para ser um multiplicador do projeto. “Eu acredito que nós temos a responsabilidade de promover uma cultura de ética, respeito e de inclusão dentro das nossas atribuições. Estamos envoltos em um grande projeto, genuíno, de nos formar e fazer com que nós, servidores públicos, possamos reproduzir conhecimentos tão importantes relativos a gênero, a populações socialmente vulneráveis, como a LGBTQIA+, para podermos falar sobre capacitismo e outros temas tão relevantes. Me sinto privilegiado e acredito que teremos muita coisa a acrescentar”, frisou.

Rossana Farias da Nóbrega, da Guarda Civil Metropolitana, também está na turma e elogiou a iniciativa. “As capacitações são bastante interessantes porque elas visam reconstruir e desconstruir alguns parâmetros que a gente já tem, alguns discursos da sociedade, e que muitas vezes a gente acaba criando uma visão errada sobre as outras pessoas. Por isso é muito importante, principalmente nós da área de segurança pública, ter essa visão mais ampla da sociedade e mais amorosa das pessoas”, destacou.

Primeira fase – A jornada de sensibilização contou com a participação de 300 guardas civis metropolitanos e 26 representantes de 18 secretarias, além da Controladoria Geral do Município, Procuradoria, Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP), Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-JP). Todos esses órgãos compõem o Comitê Gestor do Programa João Pessoa Sustentável.

  • Texto: Rejane Negreiros
    Edição: Felipe Silveira
    Fotografia: Assessoria

Tags:

Compartile: