João Pessoa: 15 de julho de 2024

Paciente que fez transplante no Hospital Metropolitano volta para casa com novo coração

Publicado em: 10 de maio de 2024

Paciente que fez transplante no Hospital Metropolitano volta para casa com novo coração 2.jpg
Paciente que fez transplante no Hospital Metropolitano volta para casa com novo coração 3.JPG
Paciente que fez transplante no Hospital Metropolitano volta para casa com novo coração 4.jpg
Paciente que fez transplante no Hospital Metropolitano volta para casa com novo coração 1.jpg

Amanhã desta quinta-feira (9), no Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, foi marcada por muita emoção e despedida. O paciente José Jonoilton, de 53 anos, que fez transplante cardíaco no dia 14 de abril, voltou para casa com o seu novo coração e pronto para continuar vivendo novas histórias.

O transplante de Jonoilton foi também um feito inédito para a unidade hospitalar gerenciada pela Fundação Paraibana de Gestão em Saúde (PB Saúde) e pertencente à rede estadual de saúde, pois foi realizada a captação de múltiplos órgãos e logo em seguida o transplante do coração, o que para a cardiologista Roberta Barreto foi um fator importante para a rápida recuperação, além de todo o trabalho realizado pela equipe multiprofissional.

“Hoje é um dia muito especial. Nós estamos dando alta ao paciente José Jonoilton, em menos de um mês após a realização do transplante cardíaco. Essa recuperação tão rápida pode ter sido em decorrência da doação e do transplante terem sido realizados aqui no hospital. Foi a primeira vez que houve uma doação de múltiplos órgãos no Hospital Metropolitano e o receptor de coração também foi transplantado aqui”, ressaltou Roberta.

Jonoilton disse estar muito gratificado por poder voltar para casa com um novo coração. Além de agradecer a Deus e toda a equipe do hospital, ele agradeceu à família do doador que lhe deu esse presente. “Tenho que agradecer a todos eles, porque receber um órgão é uma nova etapa, uma nova vida. Fiz aniversário esse mês, comecei completando o ano vivendo novamente. Posso dizer que eu nasci novo”, agradeceu Jonoilton.

Para a esposa do paciente, Joana Darc’k Vieira, levar seu esposo de volta para junto das suas filhas, após ter sofrido por mais de um ano, é a certeza que o SUS (Sistema Único de Saúde) dá certo. “Eu, como esposa, que venho acompanhando há mais de um ano e meio à espera de um órgão tão importante, estou numa grande expectativa. Minha família que está em casa, minhas filhas esperando o pai delas, que elas sabem o quanto a gente sofreu com o um infarto que ele teve, e Deus agraciou nossa família com esse milagre. Então agradeço a Deus, agradeço a toda a equipe do Metropolitano e dizer que nosso SUS dá certo”, comemorou Joana.

José Jonoilton sofria com uma insuficiência cardíaca grave e, de acordo com o cirurgião cardiovascular, Maurílio Onofre, para o coração, o tempo de isquemia é de apenas 4 horas. Como nesse transplante o doador e receptor estavam bem próximos, decorreram apenas 5 minutos entre retirada e o procedimento de implante do órgão. E a alta hospitalar do paciente é motivo de muita alegria para toda a equipe.

A médica cardiologista clínica e coordenadora do ambulatório para transplante do Metropolitano, Tauanny Frazão, enfatizou que “não existe maior incentivo à doação de órgãos, maior campanha do que ver o resultado do nosso trabalho, o resultado desse ato de amor que é a doação de órgãos. Ver José Jonoilton, hoje, depois de tanta luta, depois de tanto desejo de viver, poder voltar para casa com um novo coração batendo no seu peito e uma nova perspectiva é realmente muito emocionante e motivo de grande alegria para nós”, reforçou Tauanny.

Referência em alta complexidade cardiológica: O Hospital Metropolitano foi habilitado para a realização de transplante cardíaco em junho de 2020. Desde então, nove paraibanos já tiveram suas vidas transformadas com a realização do procedimento na unidade. Além do transplante em adultos, o Metropolitano tornou-se o 5º hospital público do país habilitado para fazer transplante de coração em crianças.

Em 26 de março de 2022, a unidade hospitalar realizou o primeiro transplante cardíaco 100% SUS pela Paraíba. Já em 2023, foram realizados quatro transplantes cardíacos e mais quatro transplantes de janeiro a abril deste ano. A Unidade é também o hospital coordenador do programa Coração Paraibano, responsável por reduzir em mais de  40% a mortalidade por infarto agudo do miocárdio na Paraíba.

 

SECOM

Tags:

Compartile: